arquivo

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Muda que a vida muda!



01/01/2014

Ressaca de ano novo. Mau-humor. 
Pensamento latente: "Esse ano, tudo vai ser diferente!"

20/02/2014

Mudanças superficiais. Pressa por alcançar os resultados. Desespero.
"E se não der certo? E se não for tudo diferente?" 

12/03/2014

Aparece um anjo, que afirma: "Você está exatamente onde deveria estar. Se não mudar agora, como é que espera que a mudança chegue?" 
Tapa na minha cara. Susto.

01/04/2014

Início da minha mudança real (e, não, não foi de mentira).
Início das mudanças à minha volta. 
Início dos agradecimentos and still counting...

---

Foi no susto que eu aprendi que as coisas só mudam quando a gente muda de verdade. Tenho passado, nos últimos anos, por um processo de mudanças. 

2014 talvez até esteja sendo o ano da grande virada, mas o fato é que ela vem se alicerçando gradualmente e, agora, com os tapas na cara que a vida (ou o anjo) deu, é que eu percebi, que a vida realmente muda quando a gente muda; percebi que as portas se abrem quando a gente se abre ao mundo!

Confesso já ter sido daquelas pessoas que "não fazem questão", sabe aquele tipo de gente que não faz questão de conhecer gente nova, que não faz questão de fazer um social, que não faz questão de reencontrar pessoas das antigas, que não faz questão de ser simpática com quem não parece ser simpática a ela...

Também tinha vergonha. Era tímida de verdade, embora pouco pareça. Aprendi que tudo bem pedir um favor, que tudo bem puxar papo com alguém que faz tempo que não falo, que tudo bem se expor, desde que você tenha segurança de que aquilo será bom para você!

É, eu mudei. 
Às vezes olho no espelho e me pergunto: "Quem é você, menina?", mas não implico com essa garota nova não, porque, quer saber? Ela é bem mais divertida que Karla antiga e é amiga dela que eu quero ser!!!

---

Dia desses, um novo amigo indicou um vídeo à turma. Vídeo esses que compartilho com vocês. Assisti, sorrindo do início ao fim. Me emocionei, especialmente quando me disseram que eu seria, provavelmente, a mais "looked up" do grupo... 

Será que diriam o mesmo a conversa fosse um ano antes? 
Será que haveria um nova turma se eu não tivesse saído da minha caixinha?
Sinceramente não sei, mas sei que a vida está melhor assim: olhando para cima, olhando para frente, olhando para os lados... Olhando para a vida!!!