arquivo

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

De: Julieta | Para: Romeu

Querido Romeu,

Acordei pensando em você e lembrei do nosso primeiro encontro. Foi no dia em que descobri que existia amor à primeira vista. Nossas conversas, nossos beijos e nossa primeira noite juntos... Ainda que estivéssemos nos conhecendo aos poucos, era como se eu já te conhecesse por toda a minha vida!

Esta noite, no meu sonho, te vi em vestes antigas, tais quais as que eu utilizava. Era como de séculos passados, tempos medievais. Me perguntei se era você um amor de outras vidas... Não sei se existem outras encarnação, mas se existir, acredito já termos nos amado em outras vidas. Talvez isso explicasse nossa imediata empatia.

E, se nosso amor é assim antigo, como terá sido nossa história das outras vezes. Quantos encontros e desencontros fazem parte do nosso destino?

Certa vez você me disse que não ia esquecer de mim jamais. Mesmo que não ficássemos juntos, você ia se lembrar, porque eu era a primeira poetisa que você havia namorado e você sempre sonhara com uma. Eu ri e, mesmo achando aquela conversa charme puro, acreditei. Aí eu te pergunto agora: você ainda pensa em mim?

É, Romeu, se nosso amor vem de outras vidas, será que esse encontro é apenas mais um capítulo dessa trajetória? Será que ainda nos reencontramos? 

Essas palavras possivelmente não chegarão até você. Onde está você? Mesmo que não tenha mais sua presença, você e nosso amor ainda vivem em mim.

Vou recomeçar. Vou matar o que ainda vive, já que o desencontro marcou essa caminhada.

Quem sabe em outro tempo um novo encontro possa nos unir? Quem sabe em outro tempo o final feliz ainda esteja por vir?

Te amei. Amo e amarei.

Da sempre sua, 

Julieta.