arquivo

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Quando eu era criança...

Amanhã é dia das crianças e confesso que hoje, mesmo com 23 anos, continuo pedindo (e ganhando \o/) presentes nessa data, que, apesar de me alegrar muito por representar um feriadinho maroto quando eu já estou cansada da correria do dia-a-dia, representa muita nostalgia para mim...

Lembro de como eu era quando era criança e o que mudou de lá para cá. Os sonhos que eu tinha, como eu imaginava que seria minha vida aos 20 e poucos e como ela de fato é. Hoje, aliás, penso como será minha vida aos 30 e poucos e algo me diz que, infelizmente, não será muito parecido com o que tenho projetado na minha cabeça...

Achava que com 20 e poucos já seria muito adulta (sem os lapsos adolescentes que me pegam desprevida de vez em quando). Que seria auto-suficiente e que já moraria sozinha. Aliás, já seria casada e estaria para ter meu primeiro filho. No entanto, hoje, nem namorado eu sei o que é... Quanto a morar sozinha? Bom, talvez em baixo de uma ponte eu consiga me manter...

Pensei que eu trabalharia de terninho e salto alto e bico fino.
Pensei que, talvez, pudesse ser uma cantora ou atriz famosa.
Cheguei até a pensar que ficaria com um cara e ele seria meu único amor, sabem como? Tipo: primeiro beijo, primeira vez, único namorado e o cara com quem me casaria...
Hoje vejo o quanto essa ideia é ridícula e sou totalmente contra (e sou contra ao terninho com sapato de bico fino também...#FashionistaConfortávelAtivar)!

Já passei por muitas situações também que não imaginava nunca que passaria. No trabalho, em relacionamentos, em casa... às vezes sinto que já vivi demais para 23 anos, outras percebo que ainda tenho muito o que viver e muitas experiências que gostaria de realizar e ainda não tive oportunidade.

O fato é que, até hoje, uma coisa não mudou e eu fico muito feliz por isso:
Apesar de já muito calejada, continuo aprendendo com a vida todos os dias e não me deixei abater parando de sonhar... Muitas vezes consigo até resgatar um pouco aquela pureza e inocência infantil que nos faz ver a vida com mais poesia!

Hoje, tenho meus 20 e poucos e ainda comemoro o dia das crianças, pois sei que ainda há uma criança frágil e curiosa dentro de mim. Alguém que quer aprender muito mais e se divertir com cada pequeno momento da vida. 

E falando na minha infância e na minha idade atual...

 


(Sou da época em que o Raimundos gravaram essa música. Sou do tempo de Mulher de fases e Rodolfo loucão... Nada contra Fábio-Antonio Alves Taxista-Júnior, mas sou mais essa versão!)