arquivo

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Carnaval: "Como xavecar um argentino?" ou "¿Cómo chamuyar una brasileña?"


Carnaval chegando (contagem regressiva!) e com ele o momento mais oportuno para colocar em prática todas as cantadas de pedreiro possível e imagináveis, porque sim, eu devo ter nascido mestre de obras em outra vida. No entanto, como ando na vibe “mi Buenos Aires querida”, resolvi dar umas dicas básicas sobre como xavecar na Argentina (não que eu tenha feito isso na viagem... não assim)!!!!

É obvio que um bom xaveco funciona em qualquer lugar (no Reveillon, lá em BAs, uma amiga, brasileira, com uma garrafinha de água na mão, ouviu a pérola “Você gosta de água? Porque eu sou 70% água”.... só faltou o “sua linda!”), mas esse mini guia destina-se a ensinar palavras/expressões que podem confundir pela semelhança das línguas. Vamos lá?

Gata/gatinha:

Se um argentino te chamar de gatinha, pode dar tapa na cara! Lá gata é o mesmo que prostituta e cometer essa gafe no xaveco não é nada bom, né? O correto é substituir por: linda, preciosa, bonita, flaca

Puto:

O garanhão da turma é o “putão”? Errado! Se você estiver afim de um cara e te alertarem que não rola por ele ser um puto, não significa que ele sai na balada pegando geral... Ou melhor, pode até sair, mas pega outra coisa! Amiga, da fruta que você gosta o puto come até o caroço! Lá o puto é o viadinho, e o putão mesmo é o ganador, mujeriego, lo que tiene mucho levante...


Transar:

Aqui você não sai gritando aos quatro ventos que quer transar com alguém, certo? Lá não tem problema, transar é como “ficar”... só dar uns beijinhos mesmo.

Correr:

Por outro lado, dizer que vai correr no parque a tarde, pode ficar estranho, já que correr (escreve-se: coger) é transar (imagina você falando: “me encontra amanhã a tarde para dar uma transadinha no parque...”, não dá, né? Se quiser falar “correr” no sentido de “correr” mesmo, é preciso usar o R bem forte... mas, pelo sim, pelo não, evitei qualquer expressão com essa palavra no meio!


Massa:

“Ahhhh sou louca por massas”... aqui ok, né? Mas se algum argentino te disser que quer te dar uma massa abra bem os olhos! Ele não está te convidando apenas para jantar em um italiano delicioso, o que ele quer mesmo é TE jantar! A menos que você queira muito provar dessa massa, saia correndo (em português, lá vai dar meio que na mesma “coger”)!


Pajero:

Aí você, garotão, quer impressionar a menina falando que tem um Pajero. Ou então, você menina tolinha, fica toda impressionada quando entende essa no meio de um monte de palavras em espanhol e pensa que o cara é cheio da grana e tem um carrão. Mas não amigos, não é nada disso. Pajero é aquele cara que gosta MUITO de “fazer justiça com as próprias mãos”. O caro lá se chama “Montero”.

Tarado:

O cara “pajero” de Buenos Aires não pode ser considerado um cara “tarado”... Tarado, lá, não tem sentido de depravado ou indecente, significa apenas uma pessoa tola, tonta, boba (ok, um cara pajero, até pode ser um tarado!)... Se alguém falar “sua taradinha”, não assuste nem pensei que passou da conta, bobinha!

... Mais palavras ...


Piraña = sabe o peixe “piranha”, então, é só isso, não dá para usar como “gatinha” ou como ”mujeriego”

Pica = naipe do baralho: espadilha (pica, corazón, diamante y trébol)… Picadas, aliás, são tábuas de frios, ou seja, nenhuma relação com pênis longo pernilongos!

Cu = nome da letra do alfabeto que aqui chamamos de “que” (primeira aula do curso de espanhol, mas vale lembrar! Aliás, “culo” lá é “bunda”... tá quase ali!)

Pico = nas palavras da Cecília: “um beijinho sem boca aberta... é lindo entre jovens...” óunnn! Fofa ela, né? Para nós é o popular “selinho”... smack!


... Acho que é tudo ... 

“Besomellama”, bom carnaval e arrasem nos "chamuyos"!